letras, sons, imagens -- revolução & conservação -- ironia & sarcasmo -- humor mau e bom -- continua preguiçoso
23
Fev 09
publicado por RAA, às 22:33link do post | comentar
ADÃO DEPOIS DA QUEDA


A paz me amava.
E o paraíso era
gozar a fonte
e a larva da criação.
Eva e eu estávamos
vestidos na palavra.


E desobedeci.
O conhecimento do mal
eu quis. E sou um odre
de carne e dúvidas,
um odre de pó, som,
úmidas fendas pela alma.
Um odre, um odre
que se esconde:
ora no côncavo da rocha,
ora no bosque, ora neste
vazio de quem se achando
rico, é pobre, pobre.


E Deus me chamou e indagou:
"Por que te ocultas?"
Mas Ele sabe e sua pergunta
aumenta esta vergonha
de ser homem e desterrado,
esta peçonha que a serpente
inoculou e ainda ressonha,
letal, com o sofrimento
que me agarra, o suor,
o braço do agravo.

Em Deus aguardo.
Pelos séculos, aguardo,
com meu odre quebrado.


Arca da Aliança

mais sobre mim
Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9




pesquisar neste blog
 
blogs SAPO