letras, sons, imagens -- revolução & conservação -- ironia & sarcasmo -- humor mau e bom -- continua preguiçoso
06
Mar 08
publicado por RAA, às 21:57link do post | comentar
POÉTICA CONTRADITÓRIA

Não digas o que sabes nos teus versos,
Deixa para trás a ciência e a consciência;
Tudo aquilo que em ti não for ausência
São ideais perdidos, ou submersos.

Abandona-te às vozes que não ouves,
E liberta os teus deuses nos teus medos;
Não busques os sorrisos, mas os medos,
E o que não ignoto e só, não louves.

Ser misterioso e triste, é ser poeta:
Mesmo a luz que palpita nos teus cantos.
É uma imagem heróica dos teus prantos.

Percorre o teu caminho até ao fundo,
E com os versos que achaste aumenta o mundo.
Não sejas um escritor, mas um profeta.


Viagem Desconhecida /
/ Caminhos da Moderna Poesia Portuguesa
(edição de Ana Hatherly)

Engraçado... pouca gente conhece esta faceta de António Quadros, e no entanto ele foi - também! - um poeta de relevo. Boa sugestão, vizinho.
Beijo
av a 7 de Março de 2008 às 19:28

É verdade, vizinha. Também eu conheço pouco. Felizmente há antologias...
Outro para si.
RAA a 8 de Março de 2008 às 17:38

Ele escreveu pouca poesia, realmente. Mas boa. Era um extraordinário humanista.
av a 9 de Março de 2008 às 21:24

Aproveito para deixar aqui o endereço do blog dedicado a António Quadros: www.antonioquadros.blogspot.com
AQF a 28 de Março de 2008 às 23:12

mais sobre mim
Março 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9





pesquisar neste blog
 
blogs SAPO