letras, sons, imagens -- revolução & conservação -- ironia & sarcasmo -- humor mau e bom -- continua preguiçoso
29
Jun 11
publicado por RAA, às 18:54link do post | comentar
5 poemas, aqui.

Ai o Botto!
Quem se queimou com ele, foi o Régio - por causa da publicação do ensaio "António Botto e o Amor". Depois vingou-se. No volume "Vidas São Vidas" do ciclo "A Velha Casa" utilizou-o como modelo para criar a personagem do poeta João Salvador. Imitou-lhe os ademanes e os dizeres, enfim, uma grande maldade.
A verdade é que o homem não era como o avestruz todo gris: mordia as mãos... até mesmo dos que não lhe roubavam as penas.
Manuel Nunes a 29 de Junho de 2011 às 21:28

Essa eu não sabia, mas é típico..(Tenho de ler "A Velha Casa"...). Mas a independência do Régio, em todos os aspectos, é notável. Ele também se deu com o Castro (a correspondência e as dedicatórias são muito afectuosas, e colaborou na "Civilização", nos anos 20); depois desapareceu.
Mas era um grande poeta.
Ab.
Ricardo António Alves a 29 de Junho de 2011 às 23:37

mais sobre mim
Junho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

17

24



pesquisar neste blog
 
blogs SAPO