letras, sons, imagens -- revolução & conservação -- ironia & sarcasmo -- humor mau e bom -- continua preguiçoso
22
Abr 09
publicado por RAA, às 19:37link do post | comentar
O MARULHO DA CHUVA NO CANO DE ZINCO...

A chuva cai continuamente,
Sobre a rua inteira,
Sobre a cidade inteira,
Sobre todos que passam,
Sobre mim.

Molhado e regelado,
Espero e desespero
Que esta chuva passe,
Que esta terra passe,
Que esta vida passe,
Ficando longe de mim.

Algo que possa voltar aos sítios percorridos,
E bem amados,
E esquecidos
Para melhor os poder amar.

Algo que possa regressar à vida existida
E mal trocada por esta
Em que só a chuva cai perpetuamente,
Em que nada persiste,
Senão o marulho da chuva
No cano de zinco,
O asfalto encharcado
E a água correndo para a sargeta.

Algo que possa voltar a encontrar-se em mim.



S. Paulo, 29.


Poemas Imperfeitos

Tão bom recordá-lo! Que bem escrevia! Tantas vezes esquecido... :(

E depois... escreveu o "Ana Paula" :))
Ana Paula a 23 de Abril de 2009 às 01:30

Ana Paula, li e tornarei a ler :|
RAA a 23 de Abril de 2009 às 12:43

mais sobre mim
Abril 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9


25



pesquisar neste blog
 
blogs SAPO