letras, sons, imagens -- revolução & conservação -- ironia & sarcasmo -- humor mau e bom -- continua preguiçoso
26
Mai 05
publicado por RAA, às 18:24link do post | comentar
A genialidade dos fab four reside nisto: grandes canções, comerciais ou experimentais, pouco importa, trabalhadas como diamantes em bruto (passe o lugar-comum), que eles próprios lapidavam e o produtor George Martin, o quinto beatle, ajudava a burilar. Revolver, por exemplo, que acabo de ouvir, de 1966. Há quem diga ser o melhor álbum dos Beatles, opinião que requer alguma temeridade para ser defendida -- esta e outras, respeitantes a outros discos. Eu, por exemplo, tenho um fraco pelo Rubber Soul (1965). Cada LP da banda de Liverpool trazia uma mão-cheia de obras-primas, além de várias boas composições, acima da média. Neste aqui à mão, por exemplo:«Good day sunshine», «I'm only sleeping», «Yellow submarine», «Got to get you into my life», excelentes canções. Querem obras-primas do Revolver? Aqui vão: «Eleanor Rigby» «Here, there and everywhere», «For no one», «Tomorrow never knows»...

publicado por RAA, às 18:23link do post | comentar
The Beatles Posted by Hello

publicado por RAA, às 02:55link do post | comentar
Acabo de ver, ouvir e ler o primeiro cd, e respectivo livreto, da colecção Let's Jazz em Público, dirigida por José Duarte e publicada pelo jornal de José Manuel Fernandes. Deixo aqui três momentos de exaltação:
1) One for Daddy-O, por Julian "Cannonball" Adderley (sax alto), com Miles Davis (trompete) e uma secção rítmica superlativa, Hank Jones (piano), Sam Jones (contrabaixo) e Art Blakey (bateria);
2) Buddy's Blues, de e por Buddy de Franco (clarinete), Kenny Drew (piano), Milt Hinton (contrabaixo) e outra vez Art Blakey na bateria. (Um dos meus primeiros LP's de jazz foi o Lady Love, da Billie Holiday, gravado ao vivo em Colónia (1954), com o dito de Franco ao clarinete.) A languidez e a volúpia dos blues, está tudo aqui...
3) Afro-Blue, por John Coltrane (sax tenor), McCoy Tyner (piano), Jimmy Garrison (contrabaixo) e Elvin Jones (bateria): jazz primordial, peço licença para dizer, como se de jam-session gravada se tratasse... ou não trata?... (Aproveitando: Mc Coy Tyner esteve por cá -- o meu é Cascais e Estoril -- algumas vezes. Vi-o no Parque Palmela, inspirado.)

mais sobre mim
Maio 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
13

20

25
27



pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO