letras, sons, imagens -- revolução & conservação -- ironia & sarcasmo -- humor mau e bom -- continua preguiçoso
25
Mar 07
publicado por RAA, às 21:32link do post | comentar
Há 50 anos, os pais fundadores do que é hoje a União Europeia haviam já assistido, durante a sua vida, a três guerras de grandes proporções, todas envolvendo a França e a Alemanha. As duas últimas, tornadas mundiais, atingiram níveis de destruição e morte que continuam a assombrar-nos.
Ao começar pela colaboração económica, Robert Schumann, Jean Monet e os restantes dirigentes europeus tiveram a inteligência de pegar no básico das trocas comerciais e das alfândegas, deixando margem para, a pouco e pouco, se forjar uma cada vez maior interdependência, cimentada pelo património cultural comum e pela opção política essencial da democracia.
O parlamento europeu, a moeda única, o espaço aberto foram passos da maior importância para essa integração, que eu pretendo que seja uma cada vez maior união. É verdade que nem tudo tem corrido bem. Recentemente, o comportamento divergente em relação à antiga Iugoslávia revestiu-se de uma enorme gravidade; a ainda mais próxima integração, eminentemente política, da Bulgária e da Roménia, sem que estas estejam ainda preparadas para tal, levantam as maiores preocupações sobre a liderança da própria União. Mas não devemos deitar fora o bebé com a água do banho. A ideia de uma Europa unida por objectivos e desígnios comuns é demasiado importante, por tudo o que já foi adquirido.
As bodas de ouro comemoradas em Berlim, no centro político que há três gerações apenas programou e dirigiu a destruição da Europa, é dum relevante alcance simbólico e permite-nos manter viva a esperança na continuação do projecto.

publicado por RAA, às 21:11link do post | comentar


publicado por RAA, às 17:43link do post | comentar | ver comentários (5)
Hoje o Abencerragem faz 2 anos.

publicado por RAA, às 17:39link do post | comentar | ver comentários (1)
21 Maio 33

Meu caro Rodrigues Lapa
Li há dias a sua conferência e tencionava enviar-lhe já pela sua coragem e pela sua justa derisão [?] de pensamento um grande abraço; apresso-me a fazê-lo porque soube ontem que a Faculdade de Letras tinha reünido em conselho e, pela sanção q. lhe aplicou, provado que V. a tinha ferido em ponto vital. Espero que nenhum dos nossos amigos terá colaborado nessa infâmia e, se não estivéssemos em Portugal, ousaria também esperar que apoiassem pùblicamente o seu protesto, com tôda a autoridade que lhe daria a sua posição de mestre.
V. regressa ao serviço do Liceu? Se eu lhe puder ser útil disponha inteiramente do
Agostinho da Silva


Correspondência de Rodrigues Lapa
(edição de M. A. Marques, A. P. Figueira Santos, N. Rosmaninho, A. Breda Carvalho e R. Godinho)

publicado por RAA, às 05:39link do post | comentar
The Beatles, Abbey Road


mais sobre mim
Março 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

16




pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO