letras, sons, imagens -- revolução & conservação -- ironia & sarcasmo -- humor mau e bom -- continua preguiçoso
04
Mai 08
publicado por RAA, às 22:37link do post | comentar | ver comentários (2)
Não deixo que mais ninguém dispute estas lágrimas
(José do Carmo Francisco sobre Sandy Denny -- aqui)
foto: Anders Folke

publicado por RAA, às 17:28link do post | comentar | ver comentários (2)
SONETO

Pára-me de repente o pensamento
Como que de repente refreado
Na doida correria em que levado
Ia em busca da paz, do esquecimento...

Pára surpreso, escrutador, atento,
Como pára um cavalo alucinado
Ante um abismo súbito rasgado...
Pára e fica e demora-se um momento.

Pára e fica na doida correria...
Pára à beira do abismo e se demora
E mergulha na noite escura e fria.

Um olhar de aço que essa noite explora...
Mas a espora da Dor seu flanco estria
E ele galga e prossegue sob a espora.


Líricas Portuguesas - 2.ª Série
(edição de Cabral do Nascimento)

mais sobre mim
Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9





pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO