letras, sons, imagens -- revolução & conservação -- ironia & sarcasmo -- humor mau e bom -- continua preguiçoso
18
Jun 10
publicado por RAA, às 18:09link do post | comentar | ver comentários (2)

publicado por RAA, às 14:48link do post | comentar | ver comentários (3)
A sensação que tenho, com a morte de José Saramago, é que ele (e também Agustina) foi o último dos grandes -- não no sentido da qualidade literária, porque, felizmente, enquanto houver Literatura haverá sempre quem faça uso das palavras para acrescentar mundos ao mundo; mas no da aproximação simbólica ao escritor demiurgo, maitre à penser ou não, alguém doutro patamar, transportando consigo a aura dos que sentem mais fundo e mais longe. Os viventes estão demasiado contaminados pela mesquinhez do quotidiano -- algo a que ele se subtraiu desde que Levantado do Chão surgiu como um romance fora-de-série, e que, com Memorial do Convento, fecha o neo-realismo com chave de ouro. Não tenho dúvidas de que o futuro registará José Saramago como hoje assinala outros grandes romancistas e prosadores do século XX: um Raul Brandão, um Aquilino Ribeiro, um Ferreira de Castro, um José Régio, um Vitorino Nemésio e, quem sabe?, um Alves Redol, um Manuel da Fonseca, um Vergílio Ferreira, um Jorge de Sena, e outros que nem sequer me passam pela cabeça.

publicado por RAA, às 14:47link do post | comentar

publicado por RAA, às 14:45link do post | comentar

mais sobre mim
Junho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9





pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO