letras, sons, imagens -- revolução & conservação -- ironia & sarcasmo -- humor mau e bom -- continua preguiçoso
21
Mar 12
publicado por RAA, às 00:19link do post | comentar

Não sei se esta tristeza é minha ou é do mundo

José Gomes Ferreira


20
Mar 12
publicado por RAA, às 01:12link do post | comentar

18
Mar 12
publicado por RAA, às 23:16link do post | comentar
Um livro infelicíssimo, pura propaganda e da mais básica. Viagem à União Soviética e aos países das chamadas democracias populares. Louvores a Stálin, Jdanov e por aí fora. Muito mal escrito, também. Não parece um livro do Jorge Amado. Não há calor ou alegria; apenas sectarismo e acrítica ingenuidade. Felizmente, o autor retirou-o da lista das suas obras. É, aliás, elucidativo ler o que nas suas memórias, Navegação de Cabotagem (1992) diz a respeito desta obra e do "socialismo surreal" (como já alguém escreveu). Penoso e instrutivo.
ficha: Jorge Amado, O Mundo da Paz -- União Soviética e Democracias Populares, 4.ª edição, Rio de Janeiro, Editorial Vitória, 1953.
incipit: Na porta do pequeno hotel boêmio de Paris, em frente à Sorbonne, abraçamo-nos, entre risos, o romancista argentino Alfredo Varela e eu. Êle partia para o aeródromo de Le Bourget onde havia de tomar o avião para Praga, eu segui para o aeródromo de Orly -- o destino do meu avião era Mouscou. Ríamo-nos porque há cinco dias Varela saía todas as manhãs do hotel, num taxi, para o aeroporto e retornava ao meio dia. A névoa, como um lençol pesado e húmido sobre a cidade, impedia a partida dos aviões.

17
Mar 12
publicado por RAA, às 01:45link do post | comentar
tags:

16
Mar 12
publicado por RAA, às 01:14link do post | comentar | ver comentários (5)
Melanie Laurent

14
Mar 12
publicado por RAA, às 22:58link do post | comentar

Las cartas no escritas son las más tiernas

Mario Benedetti


13
Mar 12
publicado por RAA, às 02:04link do post | comentar
tags:

12
Mar 12
publicado por RAA, às 20:25link do post | comentar
-- Pela mesma razão que em determinado dia da minha existência tu nasceste, nasceu e cresceu o meu provável coveiro: -- nasceu e desenvolveu-se a árvore frondosa de cujo tronco alguém fará o meu esquife...
l
também aqui

publicado por RAA, às 02:04link do post | comentar

11
Mar 12
publicado por RAA, às 23:59link do post | comentar


mais sobre mim
Março 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

15

19

29
30


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO