letras, sons, imagens -- revolução & conservação -- ironia & sarcasmo -- humor mau e bom -- continua preguiçoso
11
Jul 08
publicado por RAA, às 18:35link do post | comentar
O mundo que vem da tua ternura inatingível / será sempre um mundo fraco
Mário Dionísio

gosto de Mario Dionísio...
fico a pensar na frase que é estranha,,

lembrei do poema "Quase" é belissimo, por exemplo.
Júlia Moura Lopes a 12 de Julho de 2008 às 09:30

Eu também gosto, mas menos desta fase, porém. É o dístico inicial de «Estarei sempre lá fora», do seu primeiro livro «Poemas» (1941). O fervor revolucionário e bolchevique era muito, então. Vinha ainda longe a dissidência, o Relatório de Kruchev sobre os crimes de Estaline, dissidência confirmada por Budapeste 56 e a lógica ruptura com Cunhal (além de camaradas, eram amigos).
Enfim, são dois versos fortes, com os quais , versos e poema, não me identifico minimamente. O esquema mental é totalitário, desse totalitarismo que permitiu os crimes de que o próprio Dionísio se afastaria.
RAA a 12 de Julho de 2008 às 14:17

Também gosto de Mário Dionísio
A estes dois versos descontextualizados, vejo-os assim:

Enquanto o Mundo não atingir a tua ternura (feminina), será sempre um mundo fraco

Gosto de descontextualizar
Claras o contestatário a 14 de Julho de 2008 às 19:36

Aí está uma excelente descontextualização...
RAA a 14 de Julho de 2008 às 21:51

mais sobre mim
Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9


21
22
23
24
26

27
28
29
30
31


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO